domingo, 4 de novembro de 2012

Tendinite do tibial anterior


O tibial anterior é um músculo que fica na parte da frente da sua canela e que se insere no tarso e na base do dedo grande do pé através do seu tendão. O tibial anterior é o principal responsável pela flexão dorsal do pé (puxar a ponta do pé para cima). Sempre que o músculo se contrai ou estira, a maior parte da tensão é aplicada no tendão. Se houver um excesso de tensão devido à repetição excessiva ou a forças exageradas, o tendão pode sofrer pequenos dados, com consequente inflamação, seguida de degeneração e perda das qualidades do tecido fibroso do tendão.
Esta condição está geralmente associada a actividades como a marcha ou a corrida (especialmente em rampas e em superfícies duras ou irregulares). Os pacientes também podem desenvolver esta condição devido à tensão directa sobre o tendão. Isso acontece por exemplo em senhoras, devido às correias de algumas sandálias, que pressionam directamente a região à frente do tornozelo, provocando fricção na zona de passagem do tendão.

Sinais e sintomas/ Diagnóstico

  • Dor na parte da frente do tornozelo e/ou dorso do pé. Os sintomas tendem a desenvolver-se gradualmente e são geralmente piores nos primeiros passos ao acordar pela manhã. Algumas pessoas têm dor durante o exercício, mas, em geral, a dor é pior após o exercício. Os corredores podem sentir dor no início do treino, que depois tende a diminuir e a tornar-se mais suportável, seguida de um novo aumento depois de o treino acabar.
  • Alguma rigidez/sensação de limitação de movimentos do tornozelo e ligeiro inchaço na face anterior do tornozelo também podem estar presentes.
  • Sensibilidade à palpação na zona do tendão, que aumenta com determinado tipo de calçado (principalmente quando comprimem a zona anterior do tornozelo).

Uma boa avaliação clínica, com perguntas sobre os sintomas, a causa da lesão e um exame ao tendão são geralmente suficientes para o diagnóstico. Uma ecografia ou uma ressonância magnética pode ser útil, se o diagnóstico não for claro.

Tratamento

O primeiro passo do tratamento é eliminar o factor que está a causar os sintomas, quer seja um tipo de calçado ou uma actividade específica. Isto pode significar evitar fazer actividades como corrida ou escalada, substituindo-os por natação e ciclismo, por exemplo.
  • Electroterapia e Gelo: ambas utilizadas para controlar os sinais inflamatórios e diminuir a dor. Uma massagem com um cubo de gelo directamente sobre o tendão afectado durante 5 a 10 minutos pode ser mais efectiva do que a aplicação de gelo estático.
  • Alongamento progressivo combinado com massagem dos tecidos moles envolventes do tendão. Os músculos do tendão de Aquiles também devem ser alongados.
  • Fortalecimento progressivo do músculo tibial anterior
  • Alteração do calçado e aplicação de palmilhas ou calcanheiras pode ser necessária, de forma a dar maior suporte ao arco plantar e evitar o movimento de eversão do tornozelo.
  • Uma infiltração com corticoesteróides no local do tendão, para redução dos sintomas.
  • O último passo do tratamento consiste na reeducação do gesto desportivo e na avaliação da marcha, para corrigir eventuais alterações que sejam factores de risco para uma recidiva.

A cirurgia pode ser indicada se nenhum dos tratamentos conservadores teve efeito. O ortopedista fará o desbridamento do tendão e dos tecidos envolventes, reparando eventuais rupturas. Nesse caso, após o período de imobilização o paciente deve começar um plano de tratamento em fisioterapia.

Exercícios terapêuticos para tendinopatias do tibial anterior

Os seguintes exercícios são geralmente prescritos durante a reabilitação de uma tendinopatia do tibial anterior. Deverão ser realizados 2 a 3 vezes por dia e apenas na condição de não causarem ou aumentarem os sintomas.



Flexão/extensão do pé
Deitado, com o calcanhar fora da cama, puxe a ponta do pé e dedos para si, depois empurre pé e dedos para baixo.
Repita entre 15 e 30 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.



Alongamento do compartimento anterior da perna
Ajoelhado, com um rolo no peito dos pés e as costas alinhadas. Baixe o máximo possível a bacia de encontro aos calcanhares. Mantenha a posição durante 20 segundos.
Repita entre 5 a 10 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.



 Propriocepção do tornozelo
Em pé, apoiado na perna lesada e com esse joelho ligeiramente dobrado. Tente manter o equilíbrio sem apoiar os braços e olhando em frente. Mantenha esta posição entre 15 a 30 segundos.
Repita entre 5 a 10 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.




Antes de iniciar estes exercícios você deve sempre aconselhar-se com o seu fisioterapeuta.

Eng JJ, Pierrynowski MR. The effect of soft foot orthotics on three-dimensional lower-limb kinematics during walking and running. Phys Ther. 1994 Sep;74(9):836-44.
Grundy JR, O'Sullivan RM, Beischer AD. Operative management of distal tibialis anterior tendinopathy. Foot Ankle Int. 2010 Mar;31(3):212-9.

1 comentário:

Sergio Henrique disse...

eu sofri um acidente e sofrir uma fratura exposta da fibula MAIS lesao de tendao tibial anterior ai meu pe ficou muito de lado eu queria sabe porque ?

Enviar um comentário